17.8.15

falcon

Quando se quer treinar um falcão, basta uma luva, um pedaço de carne e uma cordinha pra amarrar o falcão. Depois de algum tempo voando assim, o coitado se acostuma e nunca vai além desse limite — mesmo que se lhe tire a corda dos pés. Assim é com a gente: nos amarraram desde pequeninos, e agora fica difícil voar para mais longe do que o "tamanho da cordinha"...

Nossos "pontos de vista" quase nunca são totalmente nossos. Foram colocados em nossa cabeça. Temos, portanto, que ir além deles. Caso contrário, nunca iremos além do limite que as circunstâncias anteriores nos impuseram. Lembre-se do falcão, e procure voar para mais longe. Para lugares que fiquem além do comprimento da cordinha...

2 comentários:

Edson Marques disse...


Ou se vai além, ou se fica só com a perspectiva do jacaré...

http://mude.blogspot.com.br/2015/08/falcon.html

Edson Marques disse...


Toda emoção é produto de um raciocínio.

Por mais rápida que ela seja — e por mais lento que ele seja.