10.6.15

vitorias

VITÓRIAS

Tem grandes vitórias que nada significam, pois acabam sendo efêmeras, insossas e sem graça. E tem pequenas vitórias que são doces e graciosas, e nos levam ao pico sublime do êxtase. Então, podemos concluir que a essência da vitória não está no seu tamanho ou impacto inicial, mas sim no seu valor e elegância. Ou seja, a pequena pode ser grande, e a grande, minúscula. O mais importante é saber a diferença entre elas — e gozá-las ambas, sem apego e sem vanglória.

5 comentários:

Edson Marques disse...


Esta semana estou tendo quatro belíssimas vitórias!

http://mude.blogspot.com.br/2015/06/vitorias.html

Estou me referindo apenas à área judicial. Nas outras áreas são muito mais que quatro!

Edson Marques disse...



Aos meus adversários eu sempre lhes concedo alternativas. Que escolham eles mesmos o tipo de derrota que preferem. Para mim, toda vitória tem que ser elegante.



Edson Marques disse...


Se as Madrugadas não fossem passageiras, a gente se encheria delas. E não sobraria espaço pra mais nada. Nem pra luz do Sol. Portanto, ame a transitoriedade do que é bom — e abra-se ao possível. Não queira eternizar as gostosuras. A longo tempo elas se estragam...

Edson Marques disse...


Nunca mais eu quis voltar à terra firme: quero continuar navegando nessas águas enluaradas de alto mar profundo, com ondas de às vezes quinze metros. E se por acaso volto à terra por uns tempos, passageiro, prefiro um porto alegre a um porto seguro. Quero festa na chegada e na partida. Nas novas chegadas, nas novas partidas. Quero festa nas quebradas. E nas inteiras...

Quero festas!

Edson Marques disse...


Meu testamento tem apenas três palavras: Me enterrem pelado. E se possível me lambuzem todo com óleo de amêndoas doces, que é para que os vermes deslizem por sobre o meu corpo, dancem feito loucos sobre mim, e depois me beijem, poeticamente, ao vivo.

Em pelo.