5.2.15

flor de abobora


2 comentários:

Edson Marques disse...


Estou com vontade de comer flores de abóbora à milanesa. Na verdade, não era realmente à milanesa, mas eu, pequenino e alegre, achava que fosse e assim chamava. Mas o que eu gosto mesmo é de flor de abóbora daquele jeito amoroso que minha Mãe fazia. Acho que ainda faz, se eu pedir pra ela.


http://mude.blogspot.com.br/2015/02/flor-de-abobora.html

Edson Marques disse...

Duas coisas são básicas na formação do ser humano: pensar rápido e enganar autoridades. Como eu, aos doze anos, era pequeno por fora, economicamente dependente, e tinha pai autoritário, fui obrigado a por asas no meu cérebro — e aprender a jogar.

Já vem daquela época esse meu poder absoluto de enganar “autoridades”. Do inspetor de alunos ao juiz da moral; do dono do time ao dono da bola; do síndico do meu prédio à polícia rodoviária, passando pelo padre, pelo pastor, e até pela zelosa mãe de uma lolita.

Enganei todos.

Enganei até mesmo aquela mulher ciumenta e possessiva que dormia ao meu lado e pensava ser a minha dona...