11.1.15

veu de verdade

Há sempre um véu de verdade que me cobre de poesia — e me revela. Eu não procuro esconder aquilo que eu acho, e nem mais busco o que já possa ter perdido... Não dissimulo aquilo que penso, eu não sufoco o que preciso gritar. Eu não seguro o incerto que se move em mim. Eu nunca prendo o que deve ser livre.

3 comentários:

Edson Marques disse...


reescrevendo hoje, um texto que já está no meu livro Solidão a Mil.

Ficou assim:

Há sempre um véu de verdade que me cobre de poesia — e me revela. Eu não procuro esconder aquilo que eu acho, e nem mais busco o que já possa ter perdido... Não dissimulo aquilo que penso, eu não sufoco o que preciso gritar. Eu não seguro o incerto que se move em mim. Eu nunca prendo o que deve ser livre.


Mas talvez eu ainda faça novas aleterações.

É a vida.

http://mude.blogspot.com.br/2015/01/veu-de-verdade.html

Sidnea Barbosa Flores disse...

Edson, estou feliz e mt orgulhosa por tê-lo como seguidor! Vc chega ao meu espaço num momento em que se faz necessária uma mudança, nada acontece por acaso, realmente! Obrigada! Bjssi

VitorNani disse...

Quem ama liberta!
Um grande abraço, poeta Edson!

VitorNani/Hang Gliding Paradise