19.12.14

padroes mirabolantes

Eu não adoto padrões mirabolantes para classificar os seres humanos. Não os classifico por peso, idade, volume ou cor da pele. Não me importa o seu saldo bancário, nem a casa onde moram, nem os carros que utilizam. Para mim, os seres humanos são de dois tipos: os que deram certo, e os que deram errado. Os que deram certo são os felizes. Os que deram errado, os infelizes. É isso.

Um comentário:

Edson Marques disse...


A felicidade é inútil. O verdadeiro amor, também. Assim como a alegria e a poesia...

http://mude.blogspot.com.br/2014/12/padroes-mirabolantes.html

É a vida.