22.5.14

minha mae

Grávida de Mim é como sinto hoje a minha Mãe ao meio-dia. Pirilampo de si mesma, ela então me dá a luz em conta-gotas, amorosa, insistente. Em seguida eu me torno cachoeira luminosa, fascinante — e me derramo em seu colo aos borbotões. Nosso Amor é líquido, Mãe. Sinuoso. Delicado. Ultrapassante.

5 comentários:

Edson Marques disse...


Acabo de escrever agora, embora ainda nem seja meio-dia. Mas sei que será assim ao meio-dia.

Sei.

É a vida!

http://mude.blogspot.com.br/2014/05/minha-mae.html

Edson Marques disse...


Quando minha mãe estava grávida de mim não lhe cresceu a barriga: fui gerado no seu coração. Por isso é que hoje eu tenho açúcar com delírio no jardim do meu amor.

Anônimo disse...

Foi a coisa mais linda, mais amorosa, mais delicada, mais poetica que li sobre isso. esse amor sem tamanho.

VELOSO disse...

Lindo isto menino!

poetarose. disse...

comentei para o face. comentei para o google. comento pra ti.
um amor que adoraria que todos pudessem conhecer, sentir e,receber também.
com certeza teríamos corações e almas mais aquecidos.