2.3.14

carnaval

Às vezes, referindo-me ao Carnaval, eu digo que sou contra "alegria com hora marcada" — mas preciso fazer uma ressalva. Carnaval é coisa de amadores, sim. Daqueles que só tiram a fantasia nesses quatro dias, e depois voltam a vestir suas armaduras da normalidade. Porém, como qualquer festa em que haja música e dança, sexo e alegria, o carnaval merece o nosso respeito, se não o nosso apoio. Embora seja alegria com hora marcada, defendo esse momento de festa. Mesmo porque alegria com hora marcada é bem melhor do que alegria nenhuma. Além do mais, especialmente no Brasil, o carnaval torna-se a Sagração da Sensualidade. O elogio da Safadeza Bacante. A veneração do desbunde. A consagração do amor livre. Um belo tributo dionisíaco à dança. A glorificação do Corpo. Portanto, viva o Carnaval... Viva o Bacanal!

4 comentários:

Edson Marques disse...


O chamado "espírito carnavalesco" este ano não me atingiu. O tríduo momesco perdeu para mim todo o seu sentido.

http://mude.blogspot.com.br/2014/03/carnaval.html

Mas os pedreiros se recusaram a trabalhar numa obra nova em SP, na Vila Madalena.

Mas eu agora vou tomar café e algumas decisões.

É a vida...

Edson Marques disse...


A vida é um equilíbrio entre hóstia e vinho.

Edson Marques disse...


Meu cérebro tem formato de coração — e é vermelho...

Edson Marques disse...


Eu modifico perfumes e delícias em palavras e velas — e planto meu verbo num jardim que fala. Hoje há um canteiro de ternuras e de flores no meu corpo entusiasmado. Transformo em arrepios o que me diz a Natureza, e coloco todos eles no meu copo de vinho. Bebo-te, meu Amor!