1.2.14

grandes inteligencias

Em seus processos de raciocínio, as grandes inteligências acabam considerando sempre duas ou mais visões diferentes de uma determinada questão — visões complementares ou até mesmo antagônicas — e então as analisam ambas ou todas em conjunto, de forma refinada, rigorosa e simultânea, sem preferir nenhuma delas — até que alguma conclusão racional satisfatória e logicamente defensável se apresente. Esse método geralmente conduz à verdade e ao sucesso.

Esquematicamente, podemos dizer que dessa relação entre tese e antítese nasce a síntese. Que, por sua vez, passa a ser uma nova tese. Então, viva Sócrates — em todos os sentidos!

4 comentários:

Edson Marques disse...

Eu e as madrugadas nos encantamos, mutuamente.

http://mude.blogspot.com.br/2014/02/grandes-inteligencias.html

Edson Marques disse...

Todo grande projeto precisa de uma ideia fundamental inteligente e de uma decisão inabalável de quem o pretende conduzir. Abrir uma empresa, criar um filho, fazer uma viagem, escrever um livro, ter um amante, pintar um quadro, fundar uma igreja. Tudo.

Edson Marques disse...

Ou você vai morrer sem ter um (a) amante?!

Edson Marques disse...

Já faz uns dois dias que eu não cometo heresia nem blasfêmia. Deus já deve tá com a pulga atrás da orelha...