18.12.13

um

Entre o brilho e o profundo, entre o belo e o sublime — não há luta em mim. Entre o altíssimo e o supremo, o círculo e a esfera, o ponto e a curva; entre o extenso e o menor, a reta e o açúcar, a magia e o encanto; entre o nada e o mestre — não há luta em mim. A origem da luz em harmonia se torna odisseia no meu peito entusiasmado. Aqui, somos todos Um.

Um comentário:

Edson Marques disse...

Um texto que vem do meu livro Manual da Separação, página 155.


http://mude.blogspot.com.br/2013/12/um.html