12.12.13

poeta pelos versos de mim

Houve um tempo em que meu coração, desesperadamente apaixonado, batia no meu peito. Dava uns três ou quatro toques, como se meu peito fosse a porta da frente, e o coração querendo sair. Mas como meu peito (naquela época) não era uma porta, meu coração saía escondido, pela janela das costas. E foi assim, pelos versos do meu corpo, que eu virei poeta.

2 comentários:

Edson Marques disse...

http://mude.blogspot.com.br/2013/12/poeta-pelos-versos-de-mim.html

Talvez eu altere ainda um pouco esse texto:

Houve um tempo em que meu coração, desesperadamente apaixonado, batia no meu peito. Dava uns três ou quatro toques, como se meu peito fosse a porta da frente, e o coração querendo sair. Mas como meu peito (naquela época) não era uma porta, meu coração saía escondido, pela janela das costas. E foi assim, pelos versos do meu corpo, que eu virei poeta.

É a vida...

Eu ... disse...

Edson, perdoe meu erro de citar Clarice como a autora de seu poema "Mude". Na verdade eu encontrei na internet já como autoria dela. Já consertei lá no meu blog. Obrigada por me informar.