17.11.13

texto e contexto

Certas teorias da Física são fantásticas. Por exemplo: Quanto maior for um Buraco Negro, menor ele tem que ser. E para que fique gigantesco, tem que se tornar minúsculo. Eis uma contradição aparente, pois, neste caso — como em muitos outros — o texto não explica o contexto. A teoria dos buracos negros segue, rigorosamente, uma das leis da Física, e as relações entre texto e contexto devem ser analisadas no campo da Linguística. Mas, ainda não sei aonde eu quero chegar quando escrevo sobre isso nesta nublada manhã de domingo em São Paulo. Talvez eu tente fazer uma analogia com as declarações de amor. Com as sentenças formais declaratórias de um sentimento chamado amor. Acontece que já são 10h59, e eu quero agora ouvir as onze badaladas do Mosteiro. Logo depois vou falar com minha Mãe, como faço todos os domingos.

Um comentário:

Edson Marques disse...

Os relógios estão alinhados. Começo a ouvir as onze badaladas...

É a vida!

http://mude.blogspot.com.br/2013/11/texto-e-contexto.html