26.11.13

gesto de amor

Quando você entrou em meu coração, e conviveu com todas as flores que lá existiam — aquilo foi um belíssimo gesto de amor. Mas, agora, agora que você penetra o meu peito apaixonado, e exige que eu arranque todas as flores que lá existem — isto é violência. Não importa o nome que você lhe dê: isto é violência...

2 comentários:

Edson Marques disse...

Ela está chegando, e vou dar-lhe toda a minha atenção. Mais tarde eu volto para continuar o texto de hoje. Talvez eu diga que esse texto acima foi originalmente escrito para Dora, a linda e delicada morena por quem me apaixonei no estúdio, enquanto ainda fazia suas trezentas fotos. Tivesse durado só três ou quatro meses, a nossa teria sido uma belíssima história de amor. Mas, eu e Dora, inexperientes e afoitos, cometemos o erro primário de ficar além do Pico... Para ela, já não bastavam mais os meus olhares: queria ser a dona exclusiva dos meus olhos. E os olhos de um poeta, você sabe, não podem ser alienados. E a coisa então resultou numa tragédia...

É a vida!


http://mude.blogspot.com.br/2013/11/gesto-de-amor.html

Edson Marques disse...

Quando Deus não consegue resolver, eu tomo as providências.