4.9.13

cara metade

Tem gente que vive buscando a sua cara-metade. E tem gente que vive tentando ser essa cara-metade. Todos se decepcionam. Cara-metade não há. Ninguém completa ninguém.

As pessoas que acreditam na existência de almas gemas ou caras-metades não devem conhecer a Lei das Probabilidades Compostas. Pois, considerando-se os mais de sete bilhões de seres humanos que hoje existem no mundo, como pode uma cara-metade, exatamente a minha, nascer na mesma cidade em que eu nasci? (...) E o que é mais interessante: como pode a minha cara metade — a minha alma gêmea — ser essa pessoa tão maravilhosa que é? Que sorte Deus não tê-la feito uma bruxinha, ou um demônio ciumento... Que sorte fantástica eu ter merecido esse astronômico conjunto de fatores que me trouxeram essa minha tão doce cara-metade!

Ou não.

5 comentários:

Edson Marques disse...

Tem gente que vive buscando a sua cara-metade. E tem gente que vive tentando ser essa cara-metade. Todos se decepcionam. Cara-metade não há. Ninguém completa ninguém.

As pessoas que acreditam na existência de almas gemas ou caras-metades não devem conhecer a Lei das Probabilidades Compostas. Pois, considerando-se os mais de sete bilhões de seres humanos que hoje existem no mundo, como pode uma cara-metade, exatamente a minha, nascer na mesma cidade em que eu nasci? Ou, como pudemos ambos ter saído da cidade em que nascemos, tão longe uma da outra, e vir nos encontrar exatamente aqui? E, além disso, como fomos levados a tomar o mesmo ônibus ou metrô naquela segunda-feira chuvosa de agosto? Ou, como pode a minha cara-metade ter vindo trabalhar na mesma empresa em que eu, por acaso, deixei meu currículo? E o que é mais interessante: como pode a minha cara metade — a minha alma gêmea — ser essa pessoa tão maravilhosa que é? Que sorte Deus não tê-la feito uma bruxa qualquer, ou um demônio peludo ciumento... Que sorte fantástica eu ter merecido esse astronômico conjunto de fatores que me trouxeram essa minha tão doce cara-metade!

Ou não.

Leia os textos linkados.

Edson Marques disse...

Embora eu também creia que existam muitas pessoas maravilhosas que merecem ser amadas por nós. E, se formos livres, teremos a chance de encontrá-las, por acaso e algum tempo, nos caminhos da vida. O milagre está não no encontro em si, mas na liberdade que não suprime a possibilidade do encontro.

Vou pensar mais a respeito desse tema. Enquanto estiver, daqui a pouco, tomando café (com açúcar e com Deus, e com suco de laranja).

Edson Marques disse...

Claro que, se você ainda não teve (ou não terá jamais) a sorte extremamente grande de encontrar a tua cara-metade — a tua alma verdadeiramente gêmea — reclame com Deus. Ou com a Lei das Probabilidades...

Suzi disse...


Bom dia, Edson!

Gostei muito da tua idéia central, concordo. Gostei mais do teu segundo comentário. E, mixando com o que penso, te digo, existem pessoas mais maravilhosas ainda que nos podem dar a honra de amá-las e a idéia fascinante e sedutora do "quando" e até do "nunca". As duas possibilidades ou probabilidades têm o seu valor. Liberdade.

Lembro-me com alegria dos casos do acaso... rs!

Meu café hoje tem a canela da Sonia.

Beijos

Suzi

Ritinha disse...

Uau!!!
Pois é, eu acredito ter encontrado o que faltava de amor em minha vida, e a cada dia sinto que é um amor total diferente. Uma história de amor maluca que está durando e fortalecendo sempre.
Até onde isso vai dar? Puxa, não sei! Só sei que há quase 11 anos vivo um sonho e não quero acordar.
:)
bjs
Ritinha