6.8.13

parada cardiaca

Mesmo que seja daqui a duzentos anos, só vou morrer de parada cardíaca. Porque, enquanto eu viver, cavalgo este coração desembestado, que arrebenta todo dia as porteiras do meu peito...

Só vou morrer quando ele parar.

5 comentários:

Edson Marques disse...

Meu espírito livre recusa todas as mortalhas que lhe são oferecidas!

http://mude.blogspot.com.br/2013/08/parada-cardiaca.html

Recuso-me a morrer enquanto vivo!

Edson Marques disse...

Temos que cavalgar a vida como se ela fosse uma potranca.

Sensual e tentadora...

Edson Marques disse...

Quanto maior a fundura do abismo, mais longo será o teu voo.

Edson Marques disse...

Quando vou fazer um cadastro para financiar uma carroça, e me perguntam qual é meu estado civil, eu sempre respondo que é o Original. Este é um dos meus maiores tesouros: meu estado civil. Mas tem gente que não pensa assim. Tem gente que troca o seu estado civil original — maravilhoso, belíssimo — por um adjetivo esquisito, como, por exemplo: casado, separado, desquitado, divorciado, viúvo — ou qualquer outra besteira do gênero...

Edson Marques disse...

Sou um rebelde romântico, sempre em busca da poética musa.