7.6.13

reabrir o vinho

Todo jogo tem suas regras. E o que é a vida, se não um jogo? O melhor deles — e o mais gostoso de ser jogado. Acho que vou reabrir este capítulo como se reabrisse a garrafa do vinho francês que acabei de buscar. Tomo então um gole redondo do Baron D’Arignac, rouge, respiro fundo — e ataco minhas lembranças como se fosse um leão. Às vezes você precisa pôr uma pedra enorme no próprio sapato para sentir-se vivo. Quem só pisa em espumas não cria coragens. Quem só vê o macio não sabe a dor.

Um comentário:

Edson Marques disse...

A propósito da foto da loja de vinhos de ontem. Tudo está interligado. O átomo contém sistemas e galáxias. É a vida!

http://mude.blogspot.com.br/2013/06/reabrir-o-vinho.html