14.5.13

vitorias

Tem grandes vitórias que nada significam, pois acabam sendo efêmeras, insossas e sem graça. E tem pequenas vitórias que são doces e graciosas, e nos levam ao pico sublime do êxtase. Então, posso concluir que o valor de uma vitória não está no seu tamanho ou impacto inicial, mas sim em sua essência e elegância. Ou seja, uma pequena pode ser grande, e uma grande, minúscula. O importante é saber a diferença entre elas — e gozá-las ambas, sem apego e sem vanglórias.

Um comentário:

Edson Marques disse...

Acabo divagando, e penso que certas vitórias podem nos levar a caminhos derrotantes, e algumas derrotas podem nos levar a caminhos vitoriosos. Tudo ligado ao que defendo no livro Teoria do Acaso. Só somos o que somos porque fomos o que fomos.

http://mude.blogspot.com.br/2013/05/vitorias.html

Os sanhaços ainda não vieram hoje. E eu — tomando café.
É a vida...