9.5.13

doce chamado freud

Certos acontecimentos só são mensuráveis no seu próprio tempo. Nem antes, nem depois. Por exemplo, minha mãe faz um doce chamado Freud. Leva Maizena, clara de ovos novos, banana caturra, calda de açúcar fino — e traz alegria e lembranças. Uma delícia. Amo essa mulher, tanto, que às vezes fico bêbado de mãe. De tanto que a tomo nos braços em arco que me embriago dela por mim. E sempre me acordo no interior, mesmo quando viajo para fora. Mas há dias em que me acordo duplamente no interior — como hoje. Estou na casa onde nasci de novo, e sinto cheiro de café. Um galo, índio, de cristas excitadas, canta dentro de mim, bem pertinho, como se cantasse na minha infância. Ouvi tanto esse galo cantar que já lhe sei o co-co-ri de cor...

4 comentários:

Edson Marques disse...

Acabo de ver minha Mãe. Amorosamente. Os passarinhos já começaram a cantar por aqui também, e os lírios aguardam sua dose diária de água benta. Já respirei Yoga, e já tive uma ideia nova: a de número 379. Daqui a pouco eu e o Sol faremos um café. Deliciosamente.
PNNMNJANMPNPEEM.
http://mude.blogspot.com.br/2013/05/doce-chamado-freud.html

Edson Marques disse...

Certos acontecimentos duram muito mais do que a sua própria existência. Porque o Tempo é algo que não se explica: vive-se.

Ou não.

Fabio Rocha disse...

Que delícia rememorar vivendo as coisas boas e belas... Abraço

Psicóloga Clínica Denise Moreno disse...

Olá Edson, já corrigi minha publicação sobre a autoria do poema Mude. parabéns pelo lindo poema e coloquei o video do mesmo no meu blog! Deus te abençoe