28.3.13

sinais

Minha Vó Vitalina olhava para a flor de laranjeira ou para o arame farpado da cerca e já sabia ver se vinha chuva ou não. Ela sabia ver os sinais. Até no circo da lua ela sabia ver se a chuva vinha. Quando certa vez lhe sugeriram que se casasse de novo ela disse não. Quando apareceu um pastor pedindo que fôssemos à igreja domingo ela não foi. Ela sabia ser os sinais. No dia em que vieram lhe dizer que carne de porco fazia mal à saúde ela me deu um pratinho de torresmo com virado de feijão. Ela sabia ter os sinais. Ela nunca perdeu a calma. Ela gostava de manteiga Aviação. Ela gostava de tomar café olhando as nuvens. Ela gostava de ver os sinais... E quando eu lhe contei que queria ser poeta, ela disse sim. Ela gostava de ler os sinais.

2 comentários:

Edson Marques disse...

Hoje, em homenagem à minha Vó Vitalina, não comerei carne. Não por hipocrisia pseudo-religiosa, mas por desejo puro de homenageá-la mesmo.

http://mude.blogspot.com.br/2013/03/sinais.html

Mandy disse...

bonito !