24.2.13

tiro na testa

Às vezes, um tiro na testa é mais eficiente que um Diálogo de Platão.

Inspirado em Che Guevara, um dos meus maiores heróis, cuja mais bela biografia, escrita por Jon Lee Anderson, quase mil páginas, é um marco. Também inspirado pelos sanhaços que hoje de manhã vi brigarem por uma banana, em vez de dialogarem entre si. Por acaso, então, encontrei essa frase tiro num dos meus blogs, e resolvi republicá-la. Assim, sem mais. Sem propósitos especiais, exceto aqueles que Deus possa ter tido em meu nome. Ou em nome de Che...
Nos comentários eu explico os inevitáveis "tiros na testa" que às vezes damos — metaforicamente, é claro.

4 comentários:

Edson Marques disse...

Inspirado em Che Guevara.
E nos sanhaços que vêm aqui comer bananas... rs!
É a vida!
http://mude.blogspot.com.br/2013/02/tiro-na-testa.html

sonia k. disse...

"É possível descobrir mais sobre uma pessoa numa hora de brincadeira do que num ano de conversa."
Não entendi a eficiência do tiro na testa, menos ainda como inspiração através dos sanhaços que comem bananas.
Será que estou fora de sintonia? Tenha uma boa tarde de domingo.

Edson Marques disse...

Geralmente (e porque me lembro de Quintana... rs!) eu não explico meus textos, mas você, Sonia, merece um tratamento especial. Porque gosto de você!

Che Guevara foi um dos maiores homens (no sentido pleno da palavra) a habitar este planeta Terra. Há uma belíssima biografia dele (imparcial, escrita por um jornalista americano, Jon Anderson), que deveria ser lida por todos. Quase mil páginas! Numa das passagens, Che dá um tiro na testa de um traidor, e diz algo parecido, embora sem citar Platão. Gostei do resultado.

Quanto aos sanhaços (que às vezes chamo de azulões), mesmo eu colocando três bananas em três lugares diferentes, eles brigam entre si (alguns), em vez de "dialogarem". Claro que o "tiro", no caso deles, é o bico... E eu me pergunto: não poderiam eles repartir as bananas? Suponho que eles, com seu gritinhos e bicadas, parecem concluir algo parecido à minha frase de hoje.

Explicando melhor: hoje de manhã, enquanto via os sanhaços "brigarem", encontrei essa frase num dos meus blogs, lembrei de Ché Guevara (e de quem me deu o livro) e... resolvi publicá-la. Assim, sem mais. Sem propósitos especiais, exceto aqueles que Deus possa ter tido em meu nome.

E que nos perdoe o Quintana... rs!

Flores e uma bela tarde de domingo pra você!

sonia k. disse...

Seu primeiro parágrafo marcou pra sempre, viu?
Pouquíssimas pessoas costumo visitar diariamente e v. é alguém que visito com prazer sempre. Não é nem virtual, é uma visita de alma.
Agradeço por todas as explicações que agora me levam a entender suas colocações assim...sem mais.... Também sou dona de fazer isso quando falo e quando escolho. Acaba ninguém entendendo os meus porquês. Aliás nem eu às vezes rs

Como só estou voltando agora a noite, obrigada pela bela tarde de domingo que foi muito cheia de dúvidas vitais nessa minha cabeça de "giramundo"= uma mistura de tudo um pouco (se não existe a palavra, vamos inclui-la agora no dicionário, tá?)

Tenha uma linda e completa semana com sucesso em tudo que realizar.V. é muito especial.