11.1.13

olhe para os lados

Agora mesmo, onde você estiver, olhe para os lados. Ajuste a consciência, apure a sensibilidade, abra seu coração, respire fundo, olhe para os lados outra vez, e responda-me, sinceramente: — As pessoas com as quais você hoje convive (em casa, na escola, no trabalho ou na internet) são amorosas, compreensivas, inteligentes, excitantes, audaciosas, livres, saudáveis, brilhantes, honestas, sensíveis, delicadas, independentes, e cheias de entusiasmo pela vida?
São?!
Porque, se assim não forem, responda-me:
— O que é que você continua fazendo aí?

6 comentários:

Edson Marques disse...

Minha Vó sempre me dia que é bom olhar para os lados de vez em quando. Principalmente, antes de atravessar a rua...

http://mude.blogspot.com.br/2013/01/olhe-para-os-lados.html

Antes de atravessar a Vida
PNJA33!

Suzi disse...

Edson,

Bom dia! Bom dia a todos!

Refletindo, matutando... Sempre!

Quem disse que azul não combina com dourado?

Aqui céu de um azul Kandinsk e um dourado escandaloso.

Tempestades previstas para esta tarde. E daí?

Depois virá um dia lindo como agora. Sempre vem.

Lembrar de nunca esquecer isso...

Ah! Respondendo-te: O que estou fazendo aqui, No Mude.

“Passando uma chuva”, ué! Rs...

E ela já está quase passando.

Suzi disse...

Olá! Voltei...

Disse que fico refletindo... Mente dividida em quadrantes e todos trabalhando ao mesmo tempo... O tempo todo!

Antes que eu me vá ao dia, colocar mais coisas na mente e nas atitudes, pensei um pensamento á propósito da tua proposição:

Que vou pensar muito também:

“Será que as pessoas com as quais convivo (em casa, na escola, no trabalho ou na internet) me vêem amorosa, compreensiva, inteligente, excitante, audaciosa, livre, saudável, brilhante, honesta, sensível, delicada, independente e cheia de entusiasmo pela vida?”

O que mais prezo na vida é a coerência. Estarei sendo coerente?

Consigo fazer aquilo que penso e prego?

Hummmm... Já vi que um dos quadrantes de minha mente vai ficar muito ocupado hoje. Espero ter boas novas quando acabar de processar tudo.

Caso não. Volto para a prancheta e me redesenho.

Belo dia a todos, e que ao final dele, tenhamos um bom saldo!


Edson Marques disse...

Suzi,
Adoro Kandinsky! E adorava mais ainda quando eu era "mais comunista", especialmente quando passei a me interessar por Arquitetura (Bauhaus, etc) e vivia rabiscando um livrinho dele, que tinha o quadro a Fuga e algumas poesias. Que o nosso céu seja dele hoje!

Quanto à tua segunda "reflexão", suponho que não importa o que as pessoas "acham da gente", mas sim o que a gente acha das pessoas... rs! Simplesmente porque aquelas qualidades todos citadas no post nós temos.

Ou não?

Flores...

Edson Marques disse...

Enfim, eu fico imaginando como eu seria se, por desgraçada sorte, eu não tivesse uma qualquer daquelas qualidades...

Por acaso, se fosse desonesto, ou burro, ou insensível, ou desanimado, ou apagado, ou escravo, ou doente, ou não amoroso, ou dependente...

Cruzes!!!

Deus me livre — e guarde!

sonia k. disse...

Acho que realmente não importa muito o que as pessoas pensam da gente. E o que pensamos de cada um também acaba passando.
Ainda me preocupo - um pouco - com o que penso de mim mesma. Isso me incomoda às vezes, mas estou numa fase que nada me atinge demais.
Estou só passando....
Qualidades e defeitos fazem parte de todos. Uns têm um pouco mais ou de menos de tudo. É o equilíbrio perfeito da natureza.
Muito de um ou de outro, em desequilíbrio, aí é realmente um credo em cruz!