15.1.13

confesso que vivo

Confesso que vivo

Inspirado em Neruda, e à beira do abismo, confesso que vivo. Porque dentro da noite há um poço fundo onde a luz se esconde. Dentro da noite existe um hoje — agora mesmo — ensolarado. Mais dezenove poemas de amor e uma canção desesperada...

11 comentários:

Edson Marques disse...

Desfeito o engano, suponho! A "notícia" da minha morte, obviamente, é falsa.

Felizmente!

Felizmente para mim, pelo menos... rs!

Foi brincadeira de um amigo meu, a quem pedi para publicar um texto aqui no blog, pois eu estaria longe da internet por dois ou três dias. Depois explico tudo.

Flores...

Edson Marques disse...

Aliás, anteontem, no período em que eu supostamente já estaria morto, eu tive a minha ideia 301.

É a vida!

twiggy disse...

Nossa!Você me deu um susto!Espero que tenho gostado da minha mensagem pelo menos, que bom que esta vivo!Alegria!

Simplesmente Doroteia disse...

NÃO DEIXA ACONTECER ISTO MAIS NÃO, ÉS UMA PESSOA QUERIDA ( EMBORA NÃO CONHEÇA PESSOALMENTE JÁ APRENDI A ADMIRÁ-LO )FIQUEI TRISTE DE VERDADE .MAS QUE BOM QUE É MENTIRA . BEIJOS

Suzi disse...

Bom dia Edson!

Bom dia a todos!

Desejo que de todos os ocupantes do corpo do Edson o único que, oxalá, tenha saído sem nenhuma escoriação seja o cãozinho azul.

O poeta morreu. Renascerá.

O filósofo morreu. Talvez tenha morrido nas suas convicções pétreas. Renascerá em questionamentos. Firmará suas crenças, ou não.

O próprio Edson morreu? Renascerá também. Afinal, todos nós não morremos todos os dias? Quando nos matam. Sempre nos matam. E sempre renascemos...

A pureza mora no cãozinho azul, aquele mesmo que só fica quando recebe festinhas. Caso não. Não. Pois, se alguma vez, aos pés do seu dono, tenha recebido deste, inadvertidamente, um pontapé... Afastou-se.

Sendo puro é magnânimo. E, se é magnânimo, apreende e compreende, por instinto de sobrevivência. Recuado, lambe sua dor. Volta. Arrisca uma volta. É uma volta de risco, provisória, afinal o mundo é cheio de festinhas. Ele sabe.

É puro, alegre e ama poesia, sábio entende que para caminhar neste mundo de pura dor, só com poesia, não conhece outro modo. Só acalenta receber festinhas. É disso que se alimenta, mais que tudo. Caso não. Não.

Eu estava rascunhado um epitáfio que busquei na internet para você, mas não tem mais sentido... Era assim:

VANITAS VANITATUM MEMENTO MORI

Lembrar de morrer, lembrar de viver.

Então, se continua por aqui, meu desejo para você é que continue buscando inspiração em tudo que é belo, reservando um tempinho para sonhar.

Que se apaixone por algo novo. Uma pessoa, um projeto, um obra artística e que principalmente cultive a paixão por si mesmo.

E o caminho certo para isso é o compromisso que tem com teu coração.

Que encontre um belo dia, ou uma bela noite, para mergulhar em Neruda, com todo o prazer que possa extrair do momento. Que divida isto. Que seja mágico, para não se esquecer.

Mude.

Para completar te pergunto, tivesse você batido com as cachuletas, teria deixado algum parêntesis, algumas aspas, colchetes sem completar? Inventarie. E... vivo, principalmente porque está vivo, faça o que tem que fazer. Com a humildade dos superiores,mas...

Faça.

Anônimo disse...

Morrer? Porque não?

É nas partidas que lembramos o perdemos!

Devemos mudar essa lógica e saborear o que tudo temos.

Abraços vivos

Bruno Mota

Anônimo disse...

Suzi,

você deveria frequentar o MADA.

Sua doença não tem cura mais da pra estacionar.

quer ser sempre mais que os outros.

sempre a mais

respeita as manifestação de outros.

parece um chefão dando as ordens.


Suzi disse...

Edson, sua permissão responder para o senhor ou senhora anônimo (12:11). Caso não aceite,entendo se remover meu comentário.

Ignorante que sou, fui pesquisar o MADA. Não me encaixei, até poderia.

Preciso saber se exite alguma entidade para mulheres que são amadas demais. Aí em encaixo.

Seu direito não crer. Daí, te convido, a passar algum tempo aqui. E só observar, tirar suas conclusões.

Não vi desrespeito meu, nem com o dono do blog ou com seus leitores. Mas respeito a sua opinião e se fui interpretada assim, desculpo-me com todos.

Pensei estar no lugar certo, onde a palavra de ordem é LIBERDADE.

Ou você está no lugar errado.

Pode ter certeza que considerarei muito o que você disse, poderá observar no futuro próximo. Como vê, um chefão não faria isso.

Se te desejar um bom dia você vai se ofender? Que o tenha, então.

Não sei mais nada... Apenas estou feliz. E continuo mesmo lendo você...

Edson Marques disse...

Esse meu amigo "criativo" não teve culpa. Depois eu conto tudo. Ele é um bom sujeito.

Flores!

Anônimo disse...

Mesmo que tenha sido por sacanagem, esse teu amigo foi genial.

Beijos!

Ana.

Anônimo disse...

Suzi
Te desejo tudo em dobro.

Sempre que tentamos impor uma solução para o problema dos outros, estamos amando demais.

Do Livro Meditações para Mulheres que Amam Demais- Robin Norwood

aqui você se encaixa.