1.1.13

ano novo

Quando se rompe o ano, não se altera nada, nenhuma curva de nenhum caminho — e nenhum começo de nenhuma estrada. Aliás, pensando bem, da vida só temos agora o resto. Portanto, viva o novo ano, como se fosse realmente novo!

16 comentários:

Edson Marques disse...

A Vida não comporta entusiasmos de segunda classe...

http://mude.blogspot.com.br/2013/01/ano-novo.html

sonia k. disse...

Já ficou batido demais dizer que a Vida está aí pra ser vivida. Não fora isto e já não se chamaria mais Vida.

O termo "resto" me soa mal. Talvez por uma conotação direta com pouco.

Cada dia tem de ser vivido como novo pois é realmente a única certeza: que é novo.

Tenha lindos dias pela frente com caminhos iniciados, curvas já delineadas, mas renascendo com suas surpresas inevitáveis.

sonia k. disse...

Acho que hoje eu deveria tomar um bom vinho e curtir minha caverna até.....

Suzi disse...

Faço trilhas. Algumas vezes com guias. Necessário. A criatura que “se meteu nesta empreitada” como tal tem o dever de ENTUSIARMAR a nós todos, ficar firme e buscar soluções e ajuda nas adversidades e no imponderável.

Eu particularmente não me afeto. Seja o cara um líder ou um ciclotímico estranho. Tenho meu propósito e o sigo. Fui lá sentir a Natureza, e não deixo nada nem ninguém, nem mesmo a própria me dissuadir.

Meus amigos me acham boba, não resisto sou abraçadora de árvores, vivo com o nariz sujinho de pólen, estaco para ouvir um canto de pássaro e viro ninja para não incomodar e observar algum ser que esteja dando sopa pelas imediações.

Sobre ontem, quando o ano se rompeu, uéeeeeeee... se nada muda como ele conseguiu essa façanha? Não entendi. Bem... Variado cardápio, pessoas-pessoas, pessoas-urubus e pessoas-anjos... Divinha só de quais delas eu me cerquei. E lá sou boba?

E até lembrei-me de vocês com entusiasmo! Ah! Também não sabia que entusiasmo tem categoria (tem?).

Gostaria de saber, nas bicas do ano se romper, casualmente, eu disse casualmente, estamos juntos. Você me cumprimentaria Sr. Edson?

Se você responder esta, te digo o que eu faria.

Agora, vá lá e tire a Sonia imediatamente da caverna. E diga para ela, aquele papo todo de que todo dia é ano novo, blá, blá, blá... a obviedade é tamanha que... Deixa prá lá.

Sonia caia nessa não. Tome o vinho, SIM. Aliás, nada contra cavernas, as adoro, e carrego uma dentro da bolsa.

Edson Marques disse...

Sonia,

Sei (sei, mesmo!) que não é fácil viver cada dia como se fosse um novo dia. Só consegui depois de anos e anos tentando... rs!

Aquela "rotina inversa" que acabei colocando no poema Mude (outro lado da rua, outro lado da cama, novos amores, novas comidas, etc.) me ajudou muito, particularmente.

Obrigado pelo desejo de novas curvas e retas...

Flores!

Edson Marques disse...

Suzi,

Do meu ponto de vista (sempre muito questionável, como todo ponto de vista), eu acho que tem classes de entusiasmo, sim.

Se tem deusinho pequenininho e deusão grandão, quando a gente adota um deles acabará tendo entusiasminho ou entusiasmão.

Me parece lógico... rs!


Também gosto de trilhas. Um dia (um dia!) te convidarei para fazermos uma em São Francisco Xavier. Gosto daquelas bandas!

Flores.

Suzi disse...

Edson,

Discordo.

Aceito.

Beijo.

Edson Marques disse...

Suzi,
Concordo.
Beijos.

Edson Marques disse...

Sonia,
Alguém sugeriu-me trocar a expressão por "restante". Mas acho que, assim, não ficaria tão chocante... rs!

E será que o que nos resta não é, mesmo, pouco?

Flores...

sonia k. disse...

Nunca tinha visto Suzi tão lacônica.

Suzi disse...

Sônia, oláaaaaaaaaaa...
Rs... Querida, ao contrário disso!
É que ando com hemorragia verbal, daí, estou tentando me controlar, e o seu outro amigo daqui, está me atiçando. E não é de agora. Logo, se eu entrar em argumentações, periga eu contrair uma L.E.R. tanto que digitaria.
Um dia (um dia!) irei convidá-lo para um psicodrama a dois. Local: um cômodo muito amplo vazio, luz ambarina, os dois nús. Calma! Nús de defesas, de posicionamentos, status, glórias e vaidades.Um brainstorming, tipo assim": era uma vez um gato xadrez... Tenho alguns dados, apenas que não devo expor aqui. E gostaria de trocar com esse seu... aliás, digo, NOSSO amigo. Você intuiu que estou lacônica, e não intuiu nada dele? Eu sim. Meninos... Beijos.

Suzi disse...

Edson,

Sei.

Eu te beijo.

sonia k. disse...

Vi a sugestão. Não creio que modificasse muito o sentido.
E, bem egoísta, agora já li "resto". V. queria chocar?

Pode até ser que o que nos resta é pouco mesmo, mas não gosto muito da ideia. Talvez até por isto, por esta consciência, é que estou "cavernosa" hoje ou pelo menos achando que devia me recolher e tomar um pouco do seu vinho até conseguir rever a luz sem me ofuscar ou correr riscos.
Beijos

Edson Marques disse...

Sim, Sonia, eu pretendia chocar, mesmo! Minha literatura sempre se propôs ser "de impacto"... rs!

Edson Marques disse...

Suzi,
Um dia!
Um = substantivo.
Dia = adjetivo...
Um claro, luminoso.
Não Um noite!

Será que era isso mesmo?... rs!

Suzi disse...

Edson,
Sem preferências.
Tenho para mim que quando estamos bem e de bem com o quintal de Deus, Universo, todo lugar é o bom "lugar".
Com luz, sem luz... com lamparina, velas, sol rasgado, brumas, vale tudo...
Falei... Vieram de Marte, meninos...