6.5.12

arco retesudo

Minha cabeça é um arco retesudo, e minhas ideias — setas de amor e liberdade que arremesso em tua direção. Não fuja delas: deixe que lhe deflorem de luz o peito. Há uma noite de luar e vinho em que hoje mergulho cego. Com a mão direita eu toco no clitóris de uma estrela, e com a outra seguro um copo imaginário. O álcool me torna lúcido. Meu coração tem sempre razão. Pois o modo como eu trato uma mulher reflete o modo como trato a própria natureza. E vice-versa. É com essas agulhas que eu costuro a lona azul do céu que me descobre. Minha vida é um circo. Meu amor, a circunstância.

Um comentário:

Edson Marques disse...

O vinho me torna lúcido.
Mais lúcido... rs!
http://mude.blogspot.com.br/2012/05/arco-retesudo.html
É a vida!