17.12.11

dois lados

Assim como você, eu tenho dois lados no meu interior: o que diz tudo — e o que esconde algumas coisas. O que é livre, e o que é bobo. O brilhante, e o cinzento. Certos dias, meus amores viram minha cabeça louca pelo avesso lógico, e parece que uma força misteriosa me segura nos momentos cruciais que antecedem os saltos profundos. Meu coração vira uma válvula. E fico em dúvida entre o cansaço do conhecido e a gostosura da surpresa. Fico em dúvida entre o sossego e a glória.
Assim como você, suponho.

Nenhum comentário: