14.6.11

relacoes vivas

Eu não apenas vivo as minhas relações de amor: eu também as penso. Eu me questiono sobre elas, a partir de dentro delas mesmas, embrenhado nas suas tramas e coivaras, nos seus mistérios e caminhos. Nas suas gostosuras indizíveis. Depois me esclareço com suas luzes ofuscantes, com seus fogos e sinais. Mas só as compreendo ao superá-las.

Nenhum comentário: