22.5.11

poetas

Os poetas seremos todos incompreendidos. Sempre. Porque causar espanto faz parte da nossa essência. Nós vemos uma coisa e seu fundamento, e os outros só veem a mesma coisa e sua utilidade. Nós vemos a totalidade poética de um universo dançante, enquanto os outros só veem a parte seca de um mero processo. Nós, os poetas, brincamos com as palavras; os brutos fazem delas uma arma. Para nós, as palavras são flores; para eles punhal.

Nenhum comentário: