15.9.08

pedremusa

Tem gente que transforma um pedregulho em obra de arte. E tem gente que transforma a musa em lavadeira de pratos.


Quanto ao artista e ao poeta não preciso dizer mais nada. Em suas mãos, tudo vira obra de arte.

Mas, aquele que transforma a musa em empregada doméstica, geralmente é aquele príncipe que já virou sapo. O casamento tradicional tem um poder transformador impressionante.


Uma ressalva: uma lavadeira de pratos pode ser musa. Uma empregada doméstica, da mesma forma. Até já escrevi um poema para as empregadas domésticas, que, quase sempre são mais gostosas que as patroas que ficam engordando no sofá da sala. O que sou contra é transformar a musa em empregada. Em fritadeira de bifes. Sou contra esses homens insensíveis que esquecem o romantismo anterior e se tornam apáticos. Nunca mais um jantar à luz de velas. Nunca mais pétalas de rosa em lençóis de cetim...

Nenhum comentário: