1.5.18

eu

Na Filosofia-USP eu sempre me defini como indefinível. Porém, depois, ao estudar computação e me tornar um analista de sistemas, senti que essa expressão também me era imprópria, pois meu universo se expandiu, e comecei a supor que eu era um "analista de circunstâncias". Com o tempo, virei um Vendedor de ideias — e era exatamente isso que dizia o meu cartão de visitas. Acontece que eu sempre mudo. Aliás, como diz o meu poema: Só o que está morto não muda. Então, e por isso mesmo, eu hoje passo a definir-me como um Descobridor de Competências.

Mais tarde eu volto aqui para explicar esse conceito.

Um comentário:

Edson Marques disse...


Que maravilha!

http://mude.blogspot.com.br/2018/05/eu.html