19.5.17

juras de amor

O que destrói a vida de muita gente não é fazer juras de amor. É querer cumpri-las.

2 comentários:

Edson Marques disse...


Depois eu falo aqui das juras de amor que tornam uma cerimônia mais bela.

http://mude.blogspot.com.br/2017/05/juras-de-amor.html

Ricardo Castelo Branco disse...

Dizem que poetas e escritores de um modo geral conseguem escrever aquilo que outras pessoas sentem, mas que não conseguem expressar. Você não é o caso, pelo menos para mim. Mas tenha certeza de que, se eu pudesse selecionar, como um pintor escolhe a pulsação do escarlate em vez do cinza insosso para compor sua tela, alguns cacos para formar um novo mosaico de mim, o que seria uma ótima ideia, o que é uma dulcíssima loucura, embora um tanto triste; você, sem dúvida, seria um estilhaço enorme, coloridamente delirante, masoquistamente cravado no meu carnoso rubi.
Sinto, por alguns instantes, que a vida pode ser possível quando o leio.
Sinto que poderia me reencontrar no labirinto (Mariozão é foda!!).
Me sinto balão. Atado por um barbante a uma pedra, mas balão.
Sinto paixão. Sinto espanto. Sinto mel. Sinto fel.
Sinto...
Amo.

É isso.

Ahhh!! Já briguei numa mesa de bar porque falaram que você se aproveitou de Clarice e pepepê, caixa de fósforos e etc e tal. Por isso odeio Facebook e às figurinhas que se baseiam só naquelas figuras com um texto e, ao fundo, uma imagem das figuraças fazendo uma cara de oráculo, ou o desenho de uma flor feito no computador. Enfim, acho que o texto nem o estilo dela tem, enquanto tem sua cara.
Abração!