5.4.17

brilho de relampago

Eu gosto de dizer que as paixões devem ter o brilho de um relâmpago — e a mesma duração. Relâmpagos não ficam acesos para sempre. Você vive um, e em seguida risca outro! Mas, não se preocupe: ninguém é obrigado a amar o risco e ser brilhante todo dia. Se você prefere ter uma relação estável, solene, contida, morna, segura — tudo bem, é um direito seu. A incompetência não é crime. Ninguém é preso por ser medíocre. Portanto, se você precisa mesmo dessa luz "eterna", meio duradoura e finalmente mortiça, vá em frente: agarre a vítima pelo pescoço e acenda uma velazinha trêmula ali no canto da sala. E não deixe entrar muito vento na relação...

Um comentário:

Edson Marques disse...


Vida é Luz.

http://mude.blogspot.com.br/2017/04/brilho-de-relampago.html