27.11.15

perda

Estou perdendo um grande amor... Que eu supunha estar no pico e na hora certa de perdê-lo de vez. Mas pode ser que não. Pois a cada minuto que agoniza agora em minhas mãos, inocente e delicado, sinto que ele cresce ainda mais — e de uma forma impressionante — no meu próprio coração.

Eu amo a perda, e até acho-a necessária e fascinante nas relações de amor. Mas tem horas que eu suponho ser preciso suspendê-la por uns tempos. Tem horas que eu sofro uma recaída inexplicável — e amo como se fosse um simples imortal...

2 comentários:

Edson Marques disse...


Procure amar a perda.

http://mude.blogspot.com.br/2015/11/perda.html

Edson Marques disse...


Gastamos muito mais energia para manter um velho amor do que para conquistar um novo. Então, até por uma questão ambiental, renove-se. Respeite a ecologia do sistema.