13.9.15

norma sufocante

Eu supero com doçura uma norma sufocante, ultrapasso com amor e alegria uma pequenina lei moral, salto por sobre um preconceito medieval que não é meu, e cometo alguns pecadinhos inocentes, deliciosos e profundos... Só por isso, eles, os formuladores de regras absurdas, já me apontam o dedo e me ameaçam punir. Acontece que eles — os juízes da moral conservadora — rompem todo dia com a Razão da própria Vida e com toda a Lógica do mundo, e nem se dão conta dessa enorme barbaridade. Esses infelizes violam todo dia as Divinas Leis da Natureza, e acham isso completamente normal... Que horror!

2 comentários:

Edson Marques disse...


Quebre as normas injustas.

http://mude.blogspot.com.br/2015/09/norma-sufocante.html

Edson Marques disse...


Existem dois tipos básicos de hereditariedade: a genética, da qual em linhas gerais não podemos fugir, e a social ou familiar — aquela da qual devemos fugir horrorizados o mais rápido possível.