7.8.15

estado civil

Tem dois tipos de estado civil: o original — e o imbecil.

2 comentários:

Edson Marques disse...


Quando me apaixono por alguém não lhe peço a identidade. Não quero saber de onde veio, qual a cor da sua pele ou seu estado civil. Não me importa a sua idade, nem o CEP, nem as coisas que já fez. Sobrenome, CPF, pretensões — nada disso me interessa. Não requeiro experiência. Quando me apaixono por alguém, dou-lhe toda a minha alma, e não exijo recompensa. Não lhe peço nada em troca: não se trata de um negócio. Não lhe tiro coisa alguma — especialmente a liberdade. E a fidelidade, é uma questão que nem se põe. Eu me entrego inteiro, e do resto nem quero saber. O que importa é ser feliz. Quando me apaixono por alguém, eu me apaixono — simplesmente.


http://mude.blogspot.com.br/2015/08/estado-civil.html

Edson Marques disse...


Quando vou fazer um cadastro para financiar uma carroça, e me perguntam qual é meu estado civil, eu sempre respondo que é o Original. Este é um dos meus maiores tesouros: meu estado civil. Mas tem gente que não pensa assim. Tem gente que troca o seu estado civil original — maravilhoso, belíssimo — por um adjetivo esquisito, como, por exemplo: casado, separado, desquitado, divorciado, viúvo — ou qualquer outra besteira do gênero...