13.7.15

sou fagulha

Em mim, tudo significa — e significa intensamente. Cada palavra que digo tem um peso, medida, tamanho, uma forma de se pôr, um jeito próprio de se dar. Não escrevo para impressionar: as emoções que se produzem a partir dos meus versos não são derivações. Se brilho em teus olhos, encantando, não é porque busque lisonjas vãs e refletidas. Se ao ler o que crio crescem fogueiras no teu peito antes frio, saiba que a madeira que arde nunca é minha. Sou apenas a fagulha que incendeia.

Um comentário: