10.6.15

sangrando

CORAÇÃO SANGRANDO

Hoje um coração à deriva —
sangrando — me pediu socorro. Mas logo vi que sangrava em falso, e sangrava tanto, que sangrará de novo se eu socorrê-lo assim. Portanto, é melhor que sofra um pouco pra ver se aprende. Porque não era um simples coração coitado: era um bobo coração ciumento, que sangrava muito por causa errada. Ele tinha perdido o objeto amado, e só queria um outro, substituto, que lhe fosse escravo... Então, ajudar por quê? Não vale a pena estancar um sangue que é mal vertido. Não posso nunca vender meu corpo como remédio.

Dei-lhe um band-aid.

2 comentários:

Edson Marques disse...


Baseado em fatos reais...

http://mude.blogspot.com.br/2015/06/sangrando.html

Edson Marques disse...


Eu era só semente, pequenina, mas depois cresci. Cresci como crescem as magnólias e os gatos. Como crescem os machados e os sândalos, as margaridas e os inocentes. Cresci como crescem os deuses e as clarices. Como crescem os morcegos e as mitologias, os amores e os girassóis.

Cresci.

— E agora?