4.6.15

quando me apaixono

Quando me apaixono por alguém não lhe peço a identidade. Não quero saber de onde veio, qual a cor da sua pele ou seu estado civil. Não me importa a sua idade, nem o CEP, nem as coisas que já fez. Sobrenome, CPF, pretensões — nada disso me interessa.

Não requeiro experiência. Aliás, eu a dispenso...

Quando me apaixono por alguém, dou-lhe toda a minha alma, e não exijo recompensa. Não lhe peço nada em troca: não se trata de um negócio. Não lhe tiro coisa alguma — especialmente a liberdade. E a fidelidade, é uma questão que nem se põe. Eu me entrego inteiro, e do resto nem quero saber. O que importa é ser feliz.

Quando me apaixono por alguém, eu me apaixono — simplesmente.

2 comentários:

Edson Marques disse...


A Vida é uma delícia!

http://mude.blogspot.com.br/2015/06/quando-me-apaixono.html

Insubstituível...

Edson Marques disse...


Meu amor é eterno: eu amo sempre!

Todas as mulheres que eu amo são em verdade uma só. Eu sempre procuro encontrar na alma de cada uma delas as singularidades maravilhosas que lhes sejam incomuns — e que para mim as tornam únicas, em si — só para distribuí-las com amor e ternura no corpo-você dessa que agora vejo, sinto, beijo, toco e amo...

Portanto, meu amor é infinito.