6.3.15

felicidade

Para os filósofos cínicos, a felicidade não é algo passageiro: uma vez alcançada, nunca mais a perdemos. A princípio, parece um absurdo, mas é uma teoria bastante sustentável. Digo isso, e concordo plenamente, porque aconteceu comigo! Sou a prova viva de que isso é possível. Meu conceito de felicidade — já por mim alcançada — é ser bem-aventurado. É ter um corpo saudável, completo domínio dos estados de espírito, e liberdade total. Muita alegria, bom humor inabalável e gostosura transbordante, além de amores infinitos. Ausência de pressa, de ciúmes e de ódio, ausência de medo, inveja e vergonha. E completa ausência de apego. Basicamente isso.

Estou escrevendo algo mais a respeito, que vou publicar no meu livro Sermão da Cordilheira.

3 comentários:

Edson Marques disse...


Viva a Lua!

Em todos os Sentidos...

http://mude.blogspot.com.br/2015/03/felicidade.html

Edson Marques disse...

Agora que já resolvi a questão da felicidade — verei o que mais Deus me reservou.

Edson Marques disse...


Quando você diz que é infeliz, todos acreditam. Mas se disser que é feliz, duvidam.
Os normais não creem que a felicidade existe.
Por isso mesmo, os normais nunca serão felizes.

É a vida.
Ou, melhor: no caso deles, é a morte...