19.2.15

tem hora de voar

Tem hora de parar — e tem hora de partir. Tem hora de permanecer quieto e calado num canto, e tem hora de cantar e de voar. E agora não é hora de dobrar as asas, nem de catar gravetos para fazer o ninho. Não é hora de buscar consolo, nem de caiar o túmulo. Portanto, não envenene com teu medo a minha dança. Seja só uma testemunha desta vertigem. Porque agora, agora é hora de voar. É hora de abrir-me a todas as possibilidades. E saltar num voo livre e sem destino para dentro de mim mesmo.

2 comentários:

Edson Marques disse...


Parte de um texto maior, em forma de poesia.

http://mude.blogspot.com.br/2015/02/tem-hora-de-voar.html

Gosto muito desse poema!

Edson Marques disse...


1. Adoro sinapses bêbadas.
2. Eu não presto — mas eu me amo.
3. Não envenene com teu medo a minha dança.
4. Todo assombro tem que ser admirável. Se não, espanta.
5. Uma pessoa, para ser interessante, deve ter algo de Oscar Wilde.
6. A capacidade de questionar as próprias convicções é um atributo dos seres mais elevados.