25.2.15

feliz paris

Quem precisa estar em Paris pra ser feliz — jamais será feliz.
Nem mesmo em Paris.

4 comentários:

Edson Marques disse...


Ser feliz é tão simples.

Ser feliz é tão complexo...

http://mude.blogspot.com.br/2015/02/feliz-paris.html

É a vida.

Edson Marques disse...


Eu digo que todos os meus amores são eternos, e em seguida proponho que devemos abandonar um grande amor no auge, no pico da relação. Ao ler essas duas coisas, você pode concluir que estou sendo contraditório. Aparentemente sim, mas, realmente, suponho que não. No fundo, estou mesmo é procurando ser coerente ao máximo. E querendo apenas te fazer pensar. Raciocinar. Querendo que você questione os teus atuais conceitos de amor e liberdade. Ao supor que eu me contradigo, você, de certa forma, já está se defendendo. Já está raciocinando — o que é um bom sinal. Continue.

Edson Marques disse...


Se você for capaz de amar com Alegria e Liberdade, poderá viver centenas de relações maravilhosas durante a vida toda — e não apenas essa meia dúzia de relações fechadas cujo brilho estranho quase sempre some.

Edson Marques disse...


Ontem à noite eu percebi que Joyce Ann, sussurrando como se rezasse, fez uma longa declaração de amor a um travesseiro azul clarinho. Depois de abraçá-lo com ternura e beijá-lo várias vezes, ela derramou duas gotinhas de perfume sobre ele, e foi colocá-lo delicadamente em minha cama. Por isso é que, mais tarde, quando me deitei, sozinho no meu quarto, fui envolvido nas palavras todas que ela deve lhe ter dito, e sonhei antes mesmo de fechar meus olhos...

Se você ainda não viveu um grande amor assim, saia correndo agora mesmo em busca dele.