9.9.14

um outro outro

Quando nos perdemos um do outro, ganhamos o direito de buscar de novo — e encontrar — um outro outro. Esse vácuo que se abre quando o outro se vai não deve ser nunca preenchido com tristezas nem com restos de um passado que já não há. Esse espaço que o outro desocupou — até que enfim — agora é só teu. Cubra-o, portanto, de paixões e de aventura.

Acho que vou criar uma empresa especializada em festas de divórcio. Afinal, enquanto o casamento é o novo que se fecha sobre si mesmo, o divórcio é o novo que se abre para o mundo. É a ressuscitação da liberdade. Por isso merece uma festa maior! Inclusive divórcio gay...

2 comentários:

Edson Marques disse...



A vida livre é uma delícia!

http://mude.blogspot.com.br/2014/09/um-outro-outro.html

Viva!!!

Edson Marques disse...


Não exija muito de quem vive no sopé da montanha. Certas perspectivas a gente só consegue quando está no Pico.

Escrito agora.
Antes do café que vou tomar com Deus...