7.9.14

pelos versos de mim

Houve um tempo em que meu coração, desesperadamente apaixonado, batia no meu peito. Dava uns três ou quatro toques, como se meu peito fosse a porta da frente, e o coração querendo sair. Mas como meu peito (naquela época) não era uma porta, meu coração saía escondido, pela janela das costas. E foi assim, pelos versos do meu corpo, que eu virei poeta.

2 comentários:

Edson Marques disse...



Esta tarde de domingo está maravilhosa. Ainda tem bastante vinho, pão, queijos, leite, geleias de laranja, ovos cozidos, amores e muita liberdade.

Nada me falta. Exceto um beijo da minha Mãe...

http://mude.blogspot.com.br/2014/09/pelos-versos-de-mim.html

Ana Moog disse...

Lindo!! Amei!
Me tocou profundamente.