17.8.14

mudanxar

Eu vivo a deliciosa incerteza a cada instante. E exceto a defesa radical da Liberdade absoluta, não tenho convicções inabaláveis. Não creio em destino. Adoro varandas. Construo jardins...

A vida é incerta. Uma corda bamba de seda à beira do abismo me excita. Eu não quero ordens — eu quero música. Ninguém me prende, ninguém me dirige, ninguém me controla. Não aceito invasões. Ninguém pode viver minha vida em meu nome. Não terceirizo as minhas emoções. Não estou à venda. Sou eu que faço as minhas escolhas.

Sou livre.

E quero que você também seja!

4 comentários:

Edson Marques disse...



Antes do café com leite, um Manifesto em defesa do Eu.

É a vida.


http://mude.blogspot.com.br/2014/08/mudanxar.html

Claudinha ੴ disse...

Também sou livre quando o que me prende são os meus ideais e então percebo que por eles minhas asas voam para onde manda minha vontade... Bj

Edson Marques disse...


Eu gosto de questionar frases feitas. Especialmente, quando elas não têm fundamento algum. Por exemplo, aquela que diz que "Devemos esquecer o passado". Ora, se o passado é feito do acúmulo de presentes, será que devemos mesmo esquecê-lo? Se este HOJE que agora VIVO é tão gostoso e tão brilhante — por que deverei logo mais esquecê-lo, completamente?

Edson Marques disse...



Quando você toma uma aspirina, nega Deus.