17.3.14

jose aristoteles

Em agosto de 1998 publiquei meu terceiro livro: Manual da Separação. Nas suas 160 páginas procurei demonstrar o quão Existencialista eu sou. O primeiro capítulo começava assim:

Aristóteles Sócrates Kierkegaard é o meu nome, mas eu geralmente minto que é José Proença só prá impressionar... Sou na verdade um motorista metido a escritor, e é por isso que tudo que escrevo parece filosofia de para-choque de caminhão. Mas são artes do meu ofício: ninguém vai além dos seus limites: durante o dia — perto da polícia — não passo nunca de oitenta por hora. Mas à noite, sozinho na estrada da vida, ponho meu Scania inteiro na banguela, e vou a mil...

4 comentários:

Edson Marques disse...

Esse livro foi reeditado em 2013 com o nome original anterior: Beijos no Céu da Boca. E ampliado para 240 páginas. Mesmo assim, não suponho que serei compreendido... rs!

Mas não é um manual: É a vida.

http://mude.blogspot.com.br/2014/03/jose-aristoteles.html

Edson Marques disse...


Estou inclinado a continuar dançando neste plano desfeito e glorioso por onde deslizo da anormalidade à loucura.

Edson Marques disse...


Quem é livre de verdade só precisa de si mesmo. Por uns tempos. Porque, depois, desapega-se também disso.

Edson Marques disse...


Trocar a própria vida pelo medo de arriscá-la não é uma solução inteligente.