18.3.14

depois de algum tempo

Nas relações "de amor" — depois de um certo tempo — nenhuma pessoa jamais será perfeita se não lhe acrescentarmos, por sobre suas qualidades, uma coisa maravilhosa chamada distância. Nessas relações, excesso de presença é quase sempre sufocante. Com o tempo, a possibilidade de encantar-se mutuamente acaba morrendo. Falece. O cotidiano é o inimigo mortal do mistério, o assassino da gostosura. Em qualquer relacionamento, a proximidade em demasia e duradoura é desastrosa. O principal ingrediente desse doce deleite chamado Amor é a Brevidade. Sem ela, a chama se apaga. É fatal. Você sabe...

5 comentários:

Edson Marques disse...


De novo, nos planos inclinados e perfeitos. Em SP. Agora um licor para comemorar.

Às ideias que eu tenho. E que me sustentam, deliciosamente.

http://mude.blogspot.com.br/2014/03/depois-de-algum-tempo.html



Edson Marques disse...


Vejam que no texto de hoje eu disse: nas relações "de amor". Claro que também existem as relações DE AMOR, e estas são belíssimas. Não requerem distância entre os amantes.

Flores...

Edson Marques disse...


Meu pai (mestre tântrico indiano) me dizia que quando eu amasse sexualmente uma mulher cuja idade dividida por 0,2 fosse menor que a minha própria idade dividida por 1/2 — e isso não constituísse crime no país em que estivéssemos — era sinal de que eu já não estaria tão jovem.

Vivo calculando...

Edson Marques disse...


Tem gente que "prende" para dizer que ama, e tem gente que "liberta" para dizer que ama.
Quem está certo?

Edson Marques disse...


Tem gente que "prende" para dizer que ama, e tem gente que "liberta" para dizer que ama.
Quem está certo?