5.1.14

para viver um grande amor

Vinicius de Moares dizia que, para viver um grande amor, é preciso "muita concentração e muito siso, muita seriedade e pouco riso". Ora, para um poeta zen, louco e libertário como eu, essas palavras são inaceitáveis como recomendação para se viver um grande amor. Aliás, com juízo e seriedade nunca se vive um grande amor. Ele ainda propõe uma besteira: pouco riso. Sabemos que relações que tenham pouco riso — e que sejam não-islâmicas — naufragam na primeira onda... No final da música, Vinicius ainda recomenda enclausurar no peito a mulher amada. Isso é coisa de ciumento — o que no fundo ele não era. Do jeito que vivia, e pelas mulheres que amou, acho que ele usou essas palavras apenas como rima, sem pensar muito no que realmente significam. Comecei hoje a escrever um breve poema em resposta, já parcialmente publicado no site www.EdsonMarques.com

Eu amo o Amor e a Liberdade do próprio Amor. Não encarcero meu Amor no coração. Ao contrário do ciumento, não quero enclausurar os meus amores no meu peito. Há muito tempo que abri meu coração inteiramente, para que entrem nele esses amores de repente. Entrem e saiam quando queiram, diferentes. Eu só amo amores livres — indescentes.

2 comentários:

Edson Marques disse...

Eu amo o Amor e a Liberdade do próprio Amor. Não encarcero meu Amor no coração. Ao contrário do ciumento, não quero enclausurar os meus amores no meu peito. Há muito tempo que abri meu coração inteiramente, para que entrem nele esses amores de repente. Entrem e saiam quando queiram, diferentes. Eu só amo amores livres — indescentes.


(Indescentes: com SC mesmo!)

http://mude.blogspot.com.br/2014/01/para-viver-um-grande-amor.html

ᄊム尺goん disse...

[e que... Sobre encanto
pra todo encontro....]