3.1.14

ano novo

Quando se rompe o ano, não se altera nada, nenhuma curva de nenhum caminho — e nenhum começo de nenhuma estrada. Aliás, pensando bem, da vida só temos agora o resto. Portanto, VIVA O NOVO ANO — como se fosse realmente novo!

5 comentários:

Edson Marques disse...

A vida é muito curta.

Isto é fatal.

Mas,
se eu pudesse começar de novo,
tomaria certos cuidados que nem sempre tomei:
Jamais teria permitido que me prendessem, ainda que em nome do amor.

Teria quebrado as correntes logo no início.

Teria tido menos pressa e mais coragem.

E nenhum sentimento de culpa.

Daria valor secundário a todas as coisas secundárias,
e consideraria secundário tudo aquilo
que não tivesse o efetivo poder de causar
mudanças significativas no rumo da minha vida.
(...)

Mas, felizmente, AINDA ESTAMOS VIVOS!

E isso é uma delícia!

Vou agora tomar um café.
Com Deus e açúcar...

Edson Marques disse...


Eu optei por ser feliz aos doze anos de idade. Já lia muito, inclusive Neruda e Karl Marx, mas não foi (só) o marxismo que iluminou os meus caminhos. Eu olhei para os lados, e vi a vida sem graça que as pessoas do meu meio viviam. Aquilo me chocava. Eram pessoas infelizes, que só reproduziam relações antigas, só seguiam as regras. Acomodadas e passionais. Então, analisei as circunstâncias, vislumbrei um futuro — e tomei a decisão. Conscientemente. Elaborei um Plano de Salvação. E o segui à risca. Com disciplina, com amor, com muita leitura, com estudos profundos, com determinação.

Deu certo.

Esse poema, portanto, não foi feito para mim, pois a a maior parte do que ali se diz eu já faço desde que me conheço por gente. Cometi alguns erros, é claro. Liguei-me quatro ou cinco vezes a pessoas ciumentas, e sofri por manter tais relações por períodos demasiado longos (no total dessas relações, perdi uns três anos de vida). Por descuido, também tomei algumas decisões equivocadas, em outras áreas, mas tudo se resolveu a seu tempo. O que lamento mesmo, e lamentarei até o fim dos meus dias, é ter perdido aqueles quase três anos com pessoas ciumentas. Esse tempo é irrecuperável. Houve também alguns jacarés nos quais depositei confiança e saquei mordidas — mas essa é outra história...

Edson Marques disse...

Prefiro um porto alegre a um porto seguro.

ᄊム尺goん disse...

[De vento em vento

um dia invento

o caminho certo

de tempo em tempo

sem contratempo]

Jah Seeker disse...

Verdade, não se altera nada. Mas se quiser viver algo diferente, quem deve mudar somos nós. #MUDE