19.11.13

picada na floresta

Eu abro uma picada na floresta e me dou bem. Eu adoro abrir picadas na floresta. Esta é a minha função preferida. Mas você tem que abrir a sua própria: experiências não se transmitem. Não queira seguir esta que eu abri, nem siga, muito menos, aquela que os normais dizem ser a única. Há milhares — e cada um tem que abrir a sua. Eu posso apenas te emprestar a foice. E te ajudar a afiá-la, de vez em quando. Mas o resto é com você.

Eu disse que "experiências não se transmitem". Porém, pessoas inteligentes têm capacidade de fazer abstrações, e podem basear-se em experiências de terceiros para tirar boas conclusões. Claro que a "vivência da experiência" continua sendo pessoal e intransferível, mas a abstração da experiência é perfeitamente possível. Como se pode notar, eu sempre questiono a validade (ou perfeição) daquilo que escrevo. Portanto, a partir desta minha nova visão do tema, terei que reescrever parcialmente o texto acima.

3 comentários:

Edson Marques disse...

Eu disse que "experiências não se transmitem". Porém, pessoas inteligentes têm capacidade de fazer abstrações, e podem basear-se em experiências de terceiros para tirar boas conclusões. Claro que a "vivência da experiência" é pessoal e intransferível, mas a abstração da experiência é perfeitamente possível. Eu sempre fico pensando sobre a validade (ou perfeição) daquilo que escrevo. Portanto, a partir desta minha nova visão do tema, terei que reescrever parcialmente o texto que publiquei hoje.

Mas, antes, vou tomar um café. Com açúcar, Com Deus e sem pressa.

É a vida.



Link do post:
http://mude.blogspot.com.br/2013/11/picada-na-floresta.html

Carmem Dalmazo disse...

Nunca na frente e nunca atrás...mas do lado...
Belo pensamento...
Bom dia!...

Edson Marques disse...

O trem da vida ainda vai passar por muitas estações. Não demore muito em nenhuma delas.