15.10.13

professor

Aranha em teia de luz, o professor não prende — liberta. Carrega o giz como fosse uma flor, com amor. E quando faz a linha tem firmeza, mas não separa. Ora Dali, ora Picasso, vai colocando a tinta, pondo seu traço, amando seu gesto, compondo a canção. Enaltece o risco do sonho, o círculo do fogo, a pureza da alma, o princípio da vida, o anel da esperança.
(...) Continua aqui.

3 comentários:

Edson Marques disse...

Eu sempre agradeço a todos os meus professores!

Sempre!

Ritinha disse...

Um dia legal a você, com chuva por aqui e muitas homenagens aos professores este mundão.
bjs
Ritinha

sonia k. disse...

Também agradeço a todos os que passaram por minha vida. Muito do que sei devo a eles.
Só lamento que de anos para cá a meninada não pode mais contar com os bons professores de outrora. Não é lamentação de alguém passada não. É constatação direta assistindo meus filhos que estudaram e ainda estudam e não contaram nem contam com as preciosidades dos professores de antes.
Tanto em formação, como em informação, como em cultura, como em zelo e desvelo com os alunos.
Concordo que dar aula hoje deve ser algo insuportável com a garotada sem respeito e boa vontade. Mas também não se fazem mais professores como os que tivemos a sorte de ter.