17.9.13

mosteiro

4 comentários:

Edson Marques disse...



A plantinha é chamada de tapete inglês. Originária da Ásia, usada na Medicina Chinesa.

Persicaria Capitata: http://gardeningwithwilson.com/

Vou tentar salvá-la!

Suzi disse...

Edson, bom dia!

Como é interessante observar que algumas espécies, bem desconjuntada do que deveriam ser o seu habitat natural, e sem o menor crédito de isso vá dar certo, alojam-se, desenvolvem-se e algumas vezes com mais exuberância até do que se estivessem “onde deveriam estar”.

Vai ver que foi uma sementinha livre que saltou para cima no escuro, e com vendas para garantir a aventura. O vento e o tempo foram seus pais.

Prazer em conhecer o teu nome, tapetinho inglês!

Tenho aqui, uma em particular, que virou a mais florida de todas, no meio do caminho, chão duro batido de terra, todo dia me dá um rosado “bom dia!”, e lições de viver... rs!

Catharanthus roseus. Vinca, vinca de Madagascar ou como queiram apenas, Boa-noite.

O não esperar as regas garantidas e programadas, devem deixá-las livres para a plenitude. E plenas para valorizarem a eventual rega, e tirar delas muito mais que as outras.

Vai ver também, que é assim com algumas espécies humanas. Ou não.

Beijo,

Suzi

Manyélly disse...

Olá, tudo joia?!
Está lindo seu blog, já estou te seguindo...
Segue o meu tbm, eu iria adorar!!!
http://manyelly.blogspot.com.br/
http://www.pinterest.com/manyelly/
Sucesso para você!!!
Bjo

sonia k. disse...

Se me permite, acho que a Suzi reenfeitou seu texto falando sobre a nobreza das plantinhas que nascem e progridem nos locais menos esperados.
Levadas pelo vento ou por voos profundos, sei lá, se instalam e enfeitam o mundo de quem consegue admirá-las.
Acho que isto acontece mesmo com os seres todos. Humanos ou não. Afinal a Natureza é a obra mais perfeita que podemos admirar constantemente.
Abençoados os que têm olhos para a singeleza e simplicidade.
Beijos e carinhos aos dois.