30.9.13

auditor Jesus

Se eu não devo me esquecer jamais do bem que alguns me fazem, por que deveria eu esquecer do mal que outros me fizeram? Seria injusto. Se for desse modo, a contabilidade não fecha... E Deus, implacável auditor, não gostará de ver um erro assim tão grave no meu balancete.

Eu às vezes contrario o auditor e até me esqueço de certas maldades que alguns já me fizeram. Mas em seguida me lembro da Bíblia, Lucas 17-3, onde se pode ler que: Se teus irmãos fizerem uma maldade contra você, mas se arrependerem sinceramente, conceda-lhes o perdão. Antes, porém, dê-lhes uma porrada inesquecível. Entretanto, como o assunto é complexo, vou pensar mais um pouco a respeito. Afinal, tem coisas que nem sabemos se são um bem ou são um mal...

2 comentários:

Edson Marques disse...

No texto de hoje eu digo que, nele, estou me referindo aos meus irmãos. Entretanto, especificamente, agora, estou pensando num "amigo", que prefiro chamar de inamigo...

Um inamigo que bem merece uma porrada. Mas que certamente não vou dar. Melhor deixar o assunto nas mãos de Deus. Que, aliás, vai também terceirizar a solução: vai entregar o crápula ao Demônio... rs!


http://mude.blogspot.com.br/2013/09/auditor-jesus.html

sonia k. disse...

Eu sempre digo que não guardo mágoas. Hoje, repensando a vida, depois de uma série de revertérios, conclui que guardo SIM!
Não crio ódio, raiva, nada assim. Mas apago, elimino a pessoa, como se tivesse morrido. Aliás, se tivesse morrido seria melhor pois até me lembraria mais vezes.
E, algumas pessoas, com coragem e vontade eu daria um soco enorme na cara, marcando para não deixar dúvidas.
Assim me descobri não tão boazinha e calma como todos me acham rsrs
Tem gente que merece, de verdade e de com força, uma boa porrada.
Pode até não ser a melhor medida, mas que ia desopilar ah! isto ia.
Bjs